Retrospectiva Cila no Minas Trend Preview

A Cila já contabiliza participações no Minas Trend Preview: nesta edição Primavera/Verão 2013 a marca apresenta suas criações pela sexta vez. Muitas de suas intrigantes e originais coleções já embelezaram e inspiraram as passarelas do evento. Relembre todas as suas estilosas participações:

Coleção Balneário - Foto: Arquivo Cila

MTP 04 – Primavera / Verão 2010

Na edição de estreia da Cila no Minas Trend Preview o desfile apresentou a coleção Balneário, voltada para a mulher contemporânea e cheia de estilo. Vestidos, kaftãs e calças com estamparia exclusiva e muito estilo agradaram em cheio lojistas e consumidoras ávidas por novidades. Este também foi o momento em que Tetê Vasconcelos passou a assinar a direção de estilo da marca. A inspiração veio do oriente e da dualidade entre a civilização egípcia e a cosmopolita Dubai.

Coleção Amazônia no MTP 5 - Foto: Arquivo Cila

MTP 05 – Outono / Inverno 2010

Em sua segunda participação, a Cila volta às raízes humanas e à natureza, retratando a floresta brasileira que extrapola o espaço físico e está presente em cada um de nós com a coleção Amazônia. E foi percorrendo rios, escutando lendas e vendo de perto a vida dos ribeirinhos que Tetê Vasconcelos mergulhou na força da biodiversidade e na exuberância das cores. Elementos como as águas, seu brilho e movimento, e os raios de sol que mostram a selva furta cor, se misturaram a galhos entrelaçados e folhas sobre folhas para se transformar em sobreposições, transparências e cores camufladas. Toda essa beleza apareceu em contraposição à destruição que o homem está causando ao que lhe sustenta.

Coleção Oceanide - Foto: Arquivo Cila

MTP 06 – Primavera / Verão 2011

A Cila abriu a programação de desfiles da sexta edição do Minas Trend Preview. Nas passarelas, com styling de Rodrigo Cezário, a coleção para o verão 2011 buscou na origem do nome Cila a inspiração para a estação. Cila, citada na Odisséia de Homero como uma ninfa de beleza extraordinária que durante sua trajetória acaba se transformando em criatura do mar, se esconde no fundo do oceano. E foi mergulhada neste passado longínquo, buscando suas raízes e suas memórias, que a estilista Tetê Vasconcelos retomou o universo da mitológica Cila e essa relação tão próxima com as águas. Desconstruindo o mito, ela trouxe para a coleção referências do mundo submarino, com suas cavernas, grutas, vegetação, cores e texturas.

Desfile de abertura do MTP 7 - Foto: Marcelo Soubhia/ Ag. Fotosite

MTP 07 – Outono / Inverno 2011

Para o desfile da sétima edição, a marca apresentou maiôs com forte apelo conceitual. Reforçando a homenagem ao grupo “Corpo”, as peças trabalhavam a valorização das formas do corpo humano com recortes e texturas que remetem aos movimentos das danças contemporâneas. Referências vintages dos anos 70 e 80 (décadas que marcaram o começo da história do “Corpo”) também estiveram presentes. As peças foram produzidas com materiais diferenciados do arquivo Cila. Misturas de materiais e a brincadeira do avesso e direito de alguns tecidos e malhas foram usadas. A paleta de cores é sóbria; explorando tons de verde, roxo, cinza, tons neutros e nudes.

MTP 08 – Primavera / Verão 2012

Coleção Olhares - Foto: Ag. Fotosite

As fotografias aéreas do francês Yann Arthus-Bertrand foram o ponto de partida para a coleção Olhares. A estampa principal – Vue du ciel – foi apresentada no desfile em tons mais secos, equilibrados por um mix de verdes e violáceos. Nesse trabalho, as fotos de Yann, principalmente as que retratam belezas naturais, foram desconstruídas, resultando em uma rica mistura de texturas, que ora remetem às montanhas, ora a rios em movimento, ora às formações rochosas. Repleta de signos, a estampa mostra rios, que simbolizam o percurso da vida e suas ramificações. O barquinho representa a ferramenta da vida, que segue pelos rios. A casinha significa o porto seguro, local onde é possível se recuperar dos ataques do mundo externo, e o valor dos relacionamentos. As formas mostradas no desfile foram uma fusão do geométrico com o orgânico, ambos apresentados pela modelagem e pelos detalhes. Os sutiãs surgiram estruturados com diferentes formatos para os bojos, alcinhas que criam diferentes efeitos e drapês localizados. Calcinhas finíssimas ou hotpants bem altas apareceram com vazados laterais, minuciosos e de maior proporção, criando um efeito de sobreposição. Já os maiôs foram elaborados na mesma linguagem, com o foco nos maxivazados, nos decotes profundos, no efeito tubinho e muitos franzidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Security Code: